XI Congresso do Sismmac

Notícias

  • 10/11/2015

    Segunda mesa do Congresso inicia análise do programa de trabalho do SISMMAC

    Debate continua amanhã, nos grupos de trabalho
    Segunda mesa do Congresso inicia análise do programa de trabalho do SISMMAC
    Programação do primeiro dia de Congresso priorizou as mesas de debate

    Quais são os passos que o magistério deve trilhar para continuar avançando na organização de suas lutas? Esse foi o tema central discutido na tarde desta terça-feira (10), na segunda mesa do XI Congresso do SISMMAC.


    O debate contou com apresentação das três posições inscritas no Caderno de Teses. A principal polêmica diz respeito a proposta de unir todas as trabalhadoras e trabalhadores da educação municipal em um mesmo sindicato. A Tese 1, elaborada pela direção do SISMMAC, propõe que o magistério estabeleça uma série de debates sobre o tema, junto com os demais trabalhadores do município, para amadurecer essa discussão ao longo de 2016.


    Em 2015, enfrentamos uma série de ataques à educação. Além do corte de orçamento para área, sofremos com a suspensão dos concursos e com a sobrecarga de trabalho gerada pela falta de professores, inspetores, pedagogas e profissionais de educação infantil. Para a direção do SISMMAC, é necessário unir todos os trabalhadores da educação para que possamos resistir a esses ataques e lutar juntos por melhores condições de trabalho nas unidades escolares.

    Todas as posições apresentadas durante a mesa defenderam que esse é um debate necessário e que deve ter como horizonte final a unificação dos servidores municipais de todas as secretarias em um mesmo sindicato. Entretanto, há entendimentos diferentes sobre qual o ritmo e passos necessários para essa construção.


    As mudanças propostas com o objetivo de ampliar a arrecadação do Sindicato e agilizar a compra de uma sede própria também geraram um amplo debate durante o espaço. Foi consenso a necessidade de ampliar a arrecadação e fortalecer a estrutura do SISMMAC. Entretanto, há divergências sobre a cobrança da contribuição sindical sobre o 13º salário e sobre a possibilidade de sindicalização na segunda matrícula.


    Foram debatidas também as propostas apresentadas pela direção do SISMMAC para avançar na organização do magistério, como o aumento da sindicalização, a criação de um programa de formação política e o fortalecimento do Conselho de Representantes.


    Os debates realizados nessa tarde sobre o programa de trabalho do SISMMAC continuam amanhã (11), durante os grupos de trabalhos. As delegadas e os delegados eleitos pelo magistério municipal de Curitiba vão se dividir em grupos para que todos possam contribuir e participar ativamente da análise. Além de discutir as propostas apresentadas no Caderno de Teses, o magistério também poderá propor alterações e sugerir acréscimo de novos itens.